Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Cambada de Asnos!

Se há coisas que me irritam é gente incompetente, gente que finge que trabalha, que trabalha à balda sem brio nem responsabilidade. Se está bem feito ou não, não interessa. O que interessa é aparecer feito mesmo feito à balda.

 

Estou com um imbróglio do caraças por causa de uns livros escolares. Quer dizer, eu não mas no fim das contas que tem de mexer os cordelinhos sou eu. Resumindo, o que aconteceu foi o seguinte: os CTT foram entregar os livros à escola, quem os recebeu assinou sem conferir se estava tudo direitinho e no fim deu... m€rd@.

 

A editora mandou três caixas, os CTT entregaram duas e a secretaria assinou como tendo recebido três. Além de que os CTT afirmam a pés juntos que entregaram as três caixas pois eles têm de pistolar o código da encomenda no local de descarga. Ora isto deve ter sido feito... mas dentro da carrinha deles!!!

 

Revolvi toda a escola na esperança da caixa ter sido levada por alguém para outro sítio mas nem vestígios dela. A única resolução é a escola pagar os exemplares extraviados e a editora mandar exemplares que são free samples, o que significa que não podem ser facturados aos pais.

 

Tendo em conta a delicadeza do problema e não querendo lixar a pessoa da secretaria, expus-lhe a situação e deixei-a à vontade para ser ela a contar o problema ao director. Ao fim e ao cabo o problema foi um "descuido" dela. Ela confiou e assinou sem conferir. Mas eu já falei com ela na sexta-feira, pelo que teve todo o dia para falar com o director.

 

Hoje cheguei lá e perguntei se tinha tocado no assunto ao director. É que EU tenho de dar uma resposta à editora para me poderem mandar os livros e eu conseguir trabalhar em condições e ainda me enviarem outros livros que faltam. Então não é que ainda não tinha dito nada?! Expliquei que tenho de dar uma resposta o mais rápido possível à editora pois eles estão à espera. À hora da minha saída, ainda não tinha dito nada de novo. Disse-me que ia falar no assunto amanhã.

 

Compreendo que é uma situação delicadíssima e que tem de ser tratada com luvas de pelica pois quem vai sair prejudicada é a escola por um "descuido" de uma funcionária. Mas eu também tenho que fazer o meu trabalho, certo? O que fariam vocês? Falariam com o director, passando por cima da pessoa da secretaria ou aguardariam?

 

Por recomendação da editora e por causa dos registo dos CTT colado nas caixas, guardei-as numa sala onde ninguém mexe. Quer dizer, ninguém mexia! Escrevi nas caixas em letras garrafais, bem grandes "NÃO DEITAR FORA". Tive de ir à tal sala e não é que estava tudo modificado?! Deu-me logo vinte coisas más! Mas onde estariam as minhas caixas? Vi lá resmas delas, só as minhas não encontrei.

 

Quem tinha andado a arrumar aquilo foi o Donaltim. Hoje encontrei-o e perguntei pelas caixas. Disse-me que as deitou fora. Só me apeteceu engoli-lo! Depois expliquei-lhe o sucedido e disse-lhe que aquelas eram as únicas caixas que não podiam ter ido para o lixo, e que se precisarmos dos códigos estamos entalados. Resposta do Donaltim, com o seu ar de tolo, pateta e idiota, com um sorriso nos lábios "ah, por acaso vi lá que as caixas diziam não deitar fora mas deitei fora na mesma." Epá, o que é que apetece fazer a um gajo destes?! ainda não o vi fazer nadinha de jeito... fokas!

 

Se umas editoras funcionam bem, outras nem por isso. Desde o início de Setembro que froam pedidos os livros e até hoje... nickles. Liguei, mandei mails, sms e nada! Hoje liguei de novo. Apanhei a representante que me disse que ia averiguar o que se passava e já me ligava ou mandava sms... está bem que o dia ainda não acabou mas quando me vai dizer alguma coisa? Pelos vistos também já não é hoje! É que nem responder à porcaria de um mail é capaz... Estou mesmo a ver-me a mudar de editora para o ano, ai tou, tou!

 

Agora digam-me lá: sou eu que sou muito piquinhas e comichosa ou é esta gente que não tem responsabilidade nenhuma e faz tudo à balda?

 

Snoopy, O Cão Raivoso.

 

Há um cão que vive numa rua aqui paralela, que é pequeno, castanho e mau, muito mau. Mas mau porquê, podem perguntar vocês. Então vou explicar o porquê e enumerar as suas façanhas e as dos donos.

 

De há uns tempos para cá e não sei qual o motivo que desencadeou tal ódio, que este cão, de nome Snoopy mas que Snoopy não tem nada, sempre que vê alguém da minha família ou o meu Bóbi... ataca!!!

 

Um dia, ia eu muito descansadinha na rua a caminho do café para ir tomar a minha dose de cafeina, quando vejo um cão a correr em direcção a mim todo furioso. E o mais ridículo é que o cão estava preso à trela. Que eu saiba, e pela minha experiência enquanto dona de dois cães, quem controla a trela é o dono, damos mais ou menos comprimento consoante as circunstâncias. E não é que o cão não me mordeu porque parou a um centímetro das minhas calças pois atingiu o limite da trela? A parva da dona pediu desculpa e tal e eu não tive outro remédio senão dizer "deixe lá" com cara feia conforme me afastava.

 

Para ir tomar café ao meu sítio habitual, tenho de passar pela rua onde vive o cão raivoso. Houve uma vez em que eu vinha de tomar café e ia a caminhar calmamente pelo passeio do prédio onde o raivoso vive. Por pouca sorte foi nessa mesma altura que o sacana veio à rua. Bem, assim que me vê, desata a correr a toda a velocidade na minha direcção e abocanha-me as calças. Lá vem a dona com o "ai desculpe" do costume ao que eu respondo "deixe lá" com cara feia.

 

Mas a coisa tem ficado cada vez mais feia. Como o cão raivoso já tentou morder o meu irmão, o Bóbi também já lhe mostrou os seus belos dentes branquinhos e a força do seu belo corpinho. Mas nem assim o sacana do cão raivoso se assustou. A sua maior ousadia foi no dia em que eu ia a entrar para o carro, o sacana me vê e voa em minha direcção. Dessa vez os dentes tocaram mesmo a minha pele e quase que entrava para dentro do carro. Não fosse um grande safanão meu e rapidez em fechar a porta e a esta hora ainda tinha os dentes de um cão agarrados à perna.

Mais uma vez o "ai desculpe" da praxe a que acrescentou "está bem? rasgou-lhe as calças?". Desta vez a minha resposta foi outra e disse à dona que o cão me mordeu sem gravidade mas que não pode trazer o cão para a MINHA RUA sem ser à trela, porque um dia destes me vai mesmo morder a sério. E o pessoal todo da rua assitiu à cena de circo...

 

Mas parece que o que eu disse à dona caiu em saco roto. Deve mesmo estar à espera que eu tome medidas mais drásticas. Então não é que quer o dono, quer a dona, vêm com o cão raivoso fazer os cocós e xixis para um terreno baldio que existe aqui nas traseiras SEM TRELA? E o que é que acontece? Dá asneira, pois tá claro!

O sacana do cão assim que atravessa a estrada, vem a correr com toda a velocidade, lança-se contra a parede do prédio a ladrar, na tentativa de subir pela janela. Ainda por cima, bate sempre nas janelas da minha vizinha de baixo, que ainda não ficou sem vidros porque tem os estroes para baixo. Então e se por acaso, algum de nós precisar de sair à rua na altura em que o cão vai fazer o servicinho? Somos comidos vivos? É que os donos sabem o que o cão faz e continuam a alimentar este comportamento.

 

Estou a pensar seriamente em arranjar um balde de água e mandar ao cão quando ele vier saltar para a janela. Mas quem devia levar o balde de água não era só o raivoso... eram os donos também! Se estivessem na minha posição o que fariam? {#emotions_dlg.mad}